FILHOS DE IMPÉRIO E PÓS-MEMÓRIAS EUROPEIAS
FILHOS DE IMPÉRIO E PÓS-MEMÓRIAS EUROPEIAS
MENU

EQUIPA

 
Margarida Calafate Ribeiro

INVESTIGADORA PRINCIPAL

Margarida Calafate Ribeiro é investigadora e professora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e responsável pela Cátedra Eduardo Lourenço da Universidade de Bolonha/ Camões. Especialista em literatura e história imperial portuguesa, política e património, a sua obra encontra-se no interstício entre os estudos literários e a história. Em 2015 recebeu uma bolsa Consolidator Grant do Conselho Europeu de Investigação, com o projeto “MEMOIRS - Filhos de Império e Pós-Memórias Europeias”. Os seus interesses de investigação reúnem memória e pós-memória do colonialismo e do império, identidades, pós-colonialismo e património. Das suas diversas publicações destaca-se o livro Uma História de Regressos: Império, Guerra Colonial e Pós-colonialismo (2004) como uma das fundações desta investigação interdisciplinar.

 

margaridacr@ces.uc.pt 

 

Research Gate  Academia.edu CES Profile

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

 

LIVROS

 

 
António Pinto Ribeiro

INVESTIGADOR | PROGRAMADOR CULTURAL

António Pinto Ribeiro é investigador associado do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Foi diretor artístico e curador responsável em várias instituições culturais portuguesas, nomeadamente da Culturgest e da Fundação Calouste Gulbenkian. Atualmente é o comissário geral de “Passado e Presente – Lisboa Capital Ibero-Americana da Cultura 2017”. Os seus principais interesses de investigação desenvolvem-se na área da arte contemporânea, especificamente africanas e sul-americanas. Das suas publicações destaca-se o seu último livro Miscelânea (2015).

apribeiro@ces.uc.pt

 

CES Profile


PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

 

 
Felipe Cammaert

INVESTIGADOR EM PÓS-DOUTORAMENTO

Felipe Cammaert

Felipe Cammaert é investigador no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Doutor em Estudos Românicos e Literatura Comparada pela Universidade Paris Nanterre, com uma tese sobre as representações da memória na obra de António Lobo Antunes e de Claude Simon. Foi bolseiro de investigação da Fundação Calouste Gulbenkian (2017) e bolseiro de pós-doutoramento da FCT no Centro de Estudos Comparatistas (FLUL, 2008-2014), nas áreas da literatura comparada e literatura portuguesa contemporânea. Tem sido docente nas Universidades de Picardie (França), Lisboa (Portugal) e Los Andes (Colômbia) e investigador da Biblioteca Nacional da Colômbia. Tradutor do francês e do português de autores contemporâneos para a América Latina.

 

CES PROFILE  ACADEMIA.EDU

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

LIVROS DE AUTOR

2013 - Ciudad Alegre y Triste, Inmigrantes III. Bogotá: El Peregrino Ediciones.

2009 - L´écriture de la mémoire dans l´oeuvre d´Antonio Lobo Antunes et de Claude Simon. Paris: L´Harmattan.

 

EDIÇÃO DE LIVROS

2015 - Biblioteca Básica de Cultura Colombiana. Bogotá: BNC.

2014 -  Naturalismos. De Lucrécio a Lobo Antunes. Lisboa: Húmus. (Com Kelly Benoudis Basílio)

2011 - António Lobo Antunes. A Arte do romance. Lisboa: Texto Editores.

 

CAPÍTULOS

2017 - “Gonçalo M. Tavares: un lúcido combate contra el lugar común”, in Gonçalo M. Tavares, El reino. Bogotá: Ediciones Uniandes, 13-20.

2017 - “Le Cul de Judas d’António Lobo Antunes", in Cécile Brochard (dir.), Expériences de l’Histoire, poétiques de la Mémoire. Paris: Ellipses, 173-224.

2017 - “El humano ante la máquina del mundo: obras de Paulo José Miranda”, in Paulo José Miranda, La enfermedad feliz y otras obras. Bogotá: Ediciones Uniandes, 10-21.

2011 - “You don’t invent anything”: memory and the patterns of fiction in Lobo Antunes’ works", in Victor K Mendes (ed.), Portuguese Literary & Cultural Studies. Facts and Fictions of António Lobo Antunes, n°19/20, 267-289. 

 

ARTIGOS

2016 - “Paranoid Shrinks: The Circulation of Cultural Materials in Pynchon and Antunes”, Germanisch-Romanische Monatsschrift, Vol. 66, n. 1, 81-95. (Com Luc Herman; Bart Vervaeck.) 

2014 - “Autoría y autoridad en diálogo: António Lobo Antunes, Enrique Vila-Matas, César Aira”,Literaturas e culturas em Portugal e na América Hispânica, Lisboa, Húmus, 187-198.

2014 - "Recordações da casa dos vivos e dos mortos em António Lobo Antunes: representações do espaço doméstico na adaptação teatral de O Esplendor de Portugal (Maison de la Culture de Bobigny, 2011)", Público e Privado Público: o Deslizar de uma Fronteira, Lisboa, Húmus, 225-241.
 

 
Fernanda Vilar

INVESTIGADORA EM PÓS-DOUTORAMENTO

Fernanda Vilar é investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (2017). Doutora em Literatura Africana Comparada pela Universidade de Paris Nanterre (2015), financiada pela CAPES (Brasil), com uma tese sobre as representações da violência na obra de Sony Labou Tansi, Mia Couto e J.M. Coetzee. Trabalhou na Comissão Europeia no departamento de Intérpretes na equipe de Comunicação Externa (2016). Foi selecionada pelas Nações Unidas – Impacto Acadêmico e discursou sobre o direito das mulheres na Assembleia Geral de Nova Iorque. Fez seu mestrado com bolsa de excelência na École Normale Supérieure de Lyon, onde foi professora de português língua estrangeira e de literatura em língua portuguesa (2010-2012). Lecionou língua portuguesa na Universidade de Marne la Valée (2012-2013). Traduziu em português o romance La vie et demie de Sony Labou Tansi, à espera de publicação.

 

CES PROFILE  ACADEMIA.EDU

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

CAPÍTULOS
 

2014 - “Desvios morais na obra de Mia Couto”, in Sylvie Hanicot-Bourdier, Nicole Fourtané, Michèle Guiraud (org.), Normes et déviances dans le monde luso-hispanophone. Nancy: Presses Universitaires de Nancy, 397-410.

2014 - “De Kourouma à Mia Couto: la distance ironique de l’histoire”, in Ana Paula Coutinho, Maria de Fatima Outeirinho, José Domingues de Almeida (Org.), Retour sur les discours postcoloniaux fondateurs: relectures, ressourcements et palabres (Coleção Libretos). Porto: Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, 47-55.

2013 – “Le flamant, la lionne et la décolonisation au Mozambique", in Geetha Ganapathy-Dore, Michel Olinga, et al. (ed.), Images of Decolonization / Images de la Decolonisation : SARI (Société d'Activités et de Recherches sur les mondes Indiens). Cergy-Pontoise: Le Centre pour la Communication Scientifique Directe, 169-185.

 

ARTIGOS

 

2017 - “Virilidade em personagens femininos de Guimarães Rosa: A dupla natureza oximórica de Diadorim”, Iberic@l, Revue d’études ibériques et ibéro-américaines, n.11, 213-224 (com Marcelo Marinho).

2017 - “Guimarães Rosa ‘ad immortalitatem’: la mort et l’immortalité dans «le verbe et le logos»", Nonada, v.2, n. 29, 76-88 (com David Lopes).

2016 – "A escrita da violência em Mia Couto, Sony Labou Tansi e J. M. Coetzee", e-cadernos, n. 26, 92-111.

 
Hélia Santos

DOUTORANDA | GESTÃO DE PROJETO

Hélia Santos é Gestora de Projetos no Centro de Estudos Sociais desde 2012, onde atualmente acompanha o projeto Memoirs. Integra ainda a equipa de investigação do Memoirs como estudante do programa de doutoramento em Pós-colonialismos e Cidadania Global, da Faculdade de Economia e do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Tem um mestrado em Sociologia (Estudos Pós-Coloniais) e uma licenciatura em Estudos Ingleses e Alemães pela Universidade de Coimbra.

 

helia@ces.uc.pt

 
Mónica V. Silva

DOUTORANDA | GESTÃO DOCUMENTAL

Mónica V. Silva é licenciada e mestre em Ciências da Educação, pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra e é atualmente estudante do programa de doutoramento "Patrimónios de Influência Portuguesa" do Centro de Investigação Interdisciplinar e Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra. É gestora documental e bolseira de doutoramento do projeto MEMOIRS. Os seus atuais interesses de investigação centram-se no estudo de identidades e pós-colonialismos, memória e pós-memória e património, Guerra Colonial Portuguesa e os Movimentos de Libertação nas antigas colónias africanas portuguesas.

 

monicasilva@ces.uc.pt

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

 

LIVRO

ARTIGO


2016 – "Luanda Through its Prisons: Luandino Vieira's Papéis da Prisão", Journal of Lusophone Studies, 1, 1: 73-88.

 
Nuno Gonçalves

DOUTORANDO | COMUNICAÇÃO E IMAGEM

Nuno Simão Gonçalves é mestre em Arquitetura pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Atualmente está a frequentar o doutoramento Patrimónios de Influência Portuguesa (CES-UC/ III) no âmbito do qual ganhou, recentemente, uma bolsa de doutoramento da Fundação para a Ciência e para a Tecnologia. Está associado, desde 2013, a vários projetos de investigação, dos quais se destacam: “De S. Paulo de Luanda a Luuanda, de Lourenço Marques a Maputo” (financiamento FCT) e “UNESCO’s Global Report” (financiamento UNESCO). Os seus interesses de investigação focalizam-se na arquitetura e urbanismo em países africanos de expressão portuguesa, em particular nas questões da segregação urbana.

nunogoncalves@ces.uc.pt

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

CAPÍTULOS EM LIVROS
 

Gonçalves, Nuno Simão (2016), "O urbanismo da Mafalala: origem, evolução e caracterização", in Margarida Calafate Ribeiro e Walter Rossa (org.), Mafalala: memórias e espaços de um lugar. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 107-163. 

 

ARTIGOS
 

Gonçalves, Nuno Simão (2016), "Políticas de gestão (sub)urbana de Lourenço Marques (1875-1975)", Cabo dos Trabalhos, 12.

Gonçalves, Nuno Simão (2016), "The urban space of Mafalala: origins, evolution and description", Journal of Lusophone Studies.

 
António Sousa Ribeiro

INVESTIGADOR ASSOCIADO

António Sousa Ribeiro é professor catedrático do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas (Estudos Germanísticos) da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e investigador do Centro de Estudos Sociais da mesma universidade. Os seus interesses de investigação centram-se nas áreas das literaturas e culturas de expressão alemã, dos estudos sobre a violência, dos estudos pós-coloniais e dos estudos culturais comparados. Tem publicado extensamente em todas estas áreas (última publicação em livro, Representações da Violência, 2013).


asr@ces.uc.pt

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

 

LIVROS

 
Bruno Sena Martins

INVESTIGADOR ASSOCIADO

Bruno Sena Martins é antropólogo e doutorado em Sociologia. É investigador e professor do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e um dos atuais vice-presidentes do Conselho Científico. Os seus interesses de investigação debruçam-se sobre os temas do corpo, pós-colonialismo, Guerra Colonial Portuguesa, experiência corporificada e memória social. Tem publicado diversos trabalhos científicos dos quais se destaca o livro de autor Sentido Sul: a cegueira no espírito do lugar (2013) e a co-organização, com Maria Paula Meneses, do livro As Guerras de Libertação e os Sonhos Coloniais: alianças secretas, mapas imaginados (2013).

 

bsenamartins@ces.uc.pt 

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

 

LIVROS

CAPÍTULOS EM LIVROS

 

2016 – “Justiça histórica e violência: a guerra colonial portuguesa”, in Jorge Miranda, Jose Bolzan Morais, Saulo Tarso Rodrigues, Nuria Belloso Martín (ed.), Hermenêutica, justiça constitucional e direitos fundamentais. Curitiba: Juruá, 759-779.


2015 – "Déficience et politique: vies soumises, récits ininsurgés", in Marcia Moraes, Virginia Kastrup (ed.), Exercices de voir et de non-voir. Taland-Dijon: Les Doigts Qui Rêvent, 231-253.
 

 

ARTIGOS 

2016 – "Antropología y Poscolonialismo. La Memoria Postabismal", Revista Andaluza de Antropología, 10: 102-118.


2015 – "Violência colonial e testemunho: Para uma memória pós-abissal", Revista Crítica de Ciências Sociais, 106: 105-226.


2013 – "Guerra e Memória Social: a deficiência como testemunho", Fractal: Revista de Psicologia, 25, 1: 3-22.

 
Miguel Bandeira Jerónimo

INVESTIGADOR ASSOCIADO

Miguel Bandeira Jerónimo (History, King’s College London, 2008) é investigador do Centro de Estudos Sociais. É ainda Professor no programa de doutoramento em Patrimónios de Influência Portuguesa (III/CES) da Universidade de Coimbra (desde 2012), do qual é co-coordenador científico (desde 2016). Os seus interesses de pesquisa centram-se na História global e comparada do imperialismo e do colonialismo (sécs. XVIII-XX). Das suas publicações que permitem uma contextualização crítica e comparativa do período histórico em análise no MEMOIRS destacam-se: Livros Brancos, Almas Negras: A “Missão Civilizadora” do Colonialismo Português, c. 1870-1930 (ICS, 2010); O Império Colonial em Questão: Poderes, saberes e instituições (como editor; Edições 70, 2012); Portugal e o fim do colonialismo. Dimensões internacionais (como co-editor; Edições 70, 2014); The ends of European colonial empires: Cases and comparisons (como co-editor; Palgrave Macmillan, 2015) e The “Civilizing Mission” of Portuguese Colonialism (c.1870-1930) (Palgrave Macmillan, 2015).

 

mbjeronimo@ces.uc.pt

 

PUBLICAÇÔES SELECIONADAS

 

LIVROS

 

CAPÍTULOS DE LIVROS

 

2016 – “Revisitando os lutos inacabados do império”, in António Sousa Ribeiro e Margarida Calafate Ribeiro (org.), Geometrias da memória: Configurações pós-coloniais. Porto: Afrontamento: 61-94.


2016 – “Da história de África à história global: problemas e conexões”, in Frederick Cooper, Histórias de África. Capitalismo, Modernidade e Globalização. Lisboa: Edições 70: 9-40 (com D. R. Curto e Nuno Domingos).


2016 – “Imperial globalisations”, in Catia Antunes e Karwan Fatah-Black (org.), Explorations in History and Globalization. London: Routledge: 212-230.


2015 – “Ideologies of Exceptionality and the Legacies of Empire in Portugal”, in Dietmar Rothermund (org.), Memories of Post-imperial Nations: The Aftermath of Decolonization, 1945–2013. Cambridge: Cambridge University Press: 97-119 (com António Costa Pinto).


2015 – “A Modernizing Empire? Politics, Culture and Economy in Portuguese Late Colonialism”, in Miguel Bandeira Jerónimo e António Costa Pinto (org.), The Ends of European Colonial Empires: Cases and Comparisons. London: Palgrave Macmillan: 51-80 (com António Costa Pinto).

 

2015 – “O Estado-império português e o colonialismo tardio”, in AAVV (org.), Descolonização, A queda do império. Vila do Conde: Verso da História: 4-15, 20-25, 28-36 (com José Pedro Monteiro).


2014 – “O império do trabalho. Portugal, as dinâmicas do internacionalismo e os mundos coloniais”, in Miguel Bandeira Jerónimo, António Costa Pinto (org.), Portugal e o fim do Colonialismo. Dimensões internacionais. Lisboa: Edições 70: 15-54 (com José Pedro Monteiro).

 
Miguel Cardina

INVESTIGADOR ASSOCIADO

Miguel Cardina é historiador e investigador no Centro de Estudos Sociais. Os seus interesses de investigação focam-se nos temas centrais do MEMOIRS, tais como: a história do colonialismo português, anticolonialismo e as guerras coloniais; as dinâmicas entre história e memória; e os usos da História Oral. Destacamos entre as suas muitas publicações no âmbito temático do MEMOIRS: “Memórias amnésicas? Nação, discurso político e representações do passado colonial" (2016); e “To talk or not to talk. Silence, Torture, and Politics in the Portuguese Dictatorship of Estado Novo" (2013). Miguel Cardina recebeu em 2016 a bolsa Starting Grant do European Research Council (ERC - Conselho Europeu para a Investigação) na qualidade de coordenador do projeto de investigação "CROME - Crossed Memories, Politics of Silence. The Colonial-Liberation Wars in Postcolonial Times", a ser desenvolvido no CES entre 2017 e 2022.

 

miguelcardina@ces.uc.pt

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

CAPÍTULOS DE  LIVROS

 

2016 – “Subjetividade e Fontes Orais na Escrita da História”, in José Neves (org.), Quem Faz a História. Lisboa: Tinta-da-China, 33-40.


2013 – “Violência, Testemunho e Sociedade. Incómodos e silêncios em torno da memória da ditadura”, in Maria Paula Meneses e Bruno Sena Martins (org.), As Guerras de Libertação e os Sonhos Coloniais. Alianças secretas, mapas imaginados. Coimbra: Edições Almedina, 29-39.


2010 – “The War Against the War. Violence and Anticolonialism in the Final Years of the Estado Novo”, in Bryn Jones e Mike O’Donnell (org.), Sixties Radicalism and Social Movement Activism. Retreat or Resurgence?. Londres: Anthem Press, 39-58.

 

ARTIGOS

 

2016 – "Memórias amnésicas? Nação, discurso político e representações do passado colonial", Configurações, 17: 31-42

O artigo toma como base empírica um conjunto de discursos proferidos recentemente em momentos comemorativos pelo Presidente da República Portuguesa, Aníbal Cavaco Silva. Analisam-se as imagens do passado colonial aí presentes e de que forma elas se conectam com uma certa “memória amnésica” que valoriza a nação a partir da singularidade das “Descobertas”, da especificidade da presença portuguesa no mundo e dos legados de fraternidade deixados nas antigas colónias. Deste modo, procura-se contribuir para a reflexão sobre o papel do discurso e da autoridade política na difusão de representações seletivas do passado e sobre as dinâmicas entre memória, poder e silenciamentos.

 

2013 –  To Talk or Not to Talk: Silence, Torture, and Politics in the Portuguese Dictatorship of Estado Novo”, Oral History Review, 40 (2): 251-270.

Este artigo é baseado na investigação que o autor realizou sobre o Maoísmo em Portugal de 1964 a 1974 durante os últimos anos da ditadura do Estado Novo. O artigo analisa a chamada “questão de conduta” ou seja, o comportamento “correto” de militantes detidos e torturados com o objetivo de relevar como este tópico - fortemente marcado pelo dualismo de “falar” / “não falar” - se perpetuou no tempo e enfatiza como através deste dualismo se podem estabelecer ligações entre tortura, silêncio e memória.

 
Paulo de Medeiros

INVESTIGADOR ASSOCIADO

Paulo de Medeiros holds the Chair of Modern and Contemporary World Literatures and is Director of Research in the Department of English & Comparative Literary Studies at the University of Warwick. From 1998 to 2013 he held the Chair of Portuguese Studies at Utrecht University. There, he co-organised and led a postgraduate seminar on cultural memory for the Dutch National Graduate School (OSL) in 2000 and 2002 and subsequently co-edited two special issues on Memory of the Tijdschrift voor Literatuurwetenschap in 2001 (15.3) and 2005 (18.1-2). His article on "Hauntings: Memory, Fiction, and the Portuguese Colonial Wars” In Politics of War Memory and Commemoration. Eds. T.G. Ashplant, Graham Dawson, Michael Roper. London: Routledge, 2000. 201-221 was reprinted as “Hauntings: Memory, Narrative, and the Portuguese Colonial Wars” in Cadernos de Literatura Comparada (Porto) 1 (2000): 47-76.
In 2011-2012 he was Keeley Fellow at Wadham College, Oxford. In 2013 and 2014 he served as President of the American Portuguese Studies Association. As visiting Professor he has taught at several universities in Portugal, Brazil, Spain, and the UK and is Honorary Fellow of the Institute for Modern Languages Research, School of Advanced Study, of the University of London. His research centers on Luso-Brazilian narrative, literary and cultural theory with a focus on the interrelations between politics and literature, as well as on postcolonial issues. He has edited Postcolonial Theory and Lusophone Literatures (Utrecht, 2007) and co-edited a number of journal issues in Portugal as well as in the UK and the USA, including a thematic issue of the Journal of Romance Studies on Psychoanalysis and Portuguese Studies (2011).

 

p.de-Medeiros@warwick.ac.uk

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS


LIVROS

 
Roberto Vecchi

INVESTIGADOR ASSOCIADO

Roberto Vecchi é professor catedrático do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas Modernas da Universidade de Bolonha, de que é diretor. Coordena a Cátedra Eduardo Lourenço (Univ.Bolonha/ Camões), sendo também investigador associado do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. É atualmente presidente da AIL, a Associação Internacional de Lusitanistas (2014-2017). Os seus principais interesses de investigação centram-se na teoria e história das culturas de língua portuguesa. Das suas publicações mais recentes destaca-se a organização dos livros Do Colonialismo como Nosso Impensado (2014), Antologia da Memória Poética da Guerra Colonial (2011) e, da sua autoria, Excepção Atlântica. Pensar a Literatura da Guerra Colonial (2010).

 

roberto.vecchi@unibo.it

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

 

LIVROS

CAPÍTULOS DE LIVROS

 

2016 – “A forma literária e o diagrama da Gewalt: exceção e excesso da guerra nos limiares modernos da cultura brasileira”, in Felipe Martínes-Pinzón – Javier Uriarte (org.) Entre el humo y la niebla. Guerra y cultura en América Latina. Pittsburgh: Instituto Internacional de Literatura Iberoamericana, 2016: 159-171.
 

2015 – “Pós-memória e Filomela. O bordado da violência e a legibilidade do trauma”, in Bruno Franco Medeiros; Francisco Gouvea de Souza; Marcelo de Mello Rangel; Mateus H.F. Pereira (org.) Teoria e historiografia. Debates contemporâneos.  Jundiaí: Paco Editora, 2015: 35-51.
 

2015 – "Identidade, Herança, Pertença, in Margarida Calafate Ribeiro, Walter Rossa (org.), Patrimónios de Influência Portuguesa: modos de olhar. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra: 65-80.
 

2015 – “Papéis críticos avulsos”, in Margarida Calafate Ribeiro, Mónica V. Silva, Roberto Vecchi (org.), Papéis da Prisão: Apontamentos, diário, correspondência (1962-1971), de José Luandino Vieira. Lisboa: Caminho: 13-31 (com Margarida Calafate Ribeiro).

 

2012 – “A memória poética da Guerra Colonial de Portugal em África: os vestígios como material de uma construção possível”, in Sabrina Sedlmayer e Jaime Ginzburg (org.), Walter Benjamim: rastro, aura e história. Belo Horizonte: Editora da UFMG: 87-105(com Margarida Calafate Ribeiro).
 

2010 – “A memória poética como patrimônio de sofrimento”, in Juciane Cavalheiro (org.), Literatura Interfaces Fronteiras. Manaus: UEA Edições: 319-338.

 

ARTIGOS

 

2016 – “Catástrofe identitária e autoritarismo militar: revocalizações literárias”, Iberoamericana, XVI, 62 (2016): 43-51.
 

2015 – “L'être singulier pluriel du post-colonialisme portugais”, Les Langues Néo-Latines, 108e année-2-n.º 369, Avril-Juin 2014 : 17-29.

 
Sílvia Roque

INVESTIGADORA ASSOCIADA

Sílvia Roque é investigadora do Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra. É especialista em Estudos Africanos e Estudos da Paz e tem desenvolvido os seus interesses de investigação nas áreas da violência quotidiana em contextos de pós-guerra, género e violência, violência e jovens urbanos, que são exploradas e discutidas em detalhe no seu livro Pós-guerra? Percursos de violência nas margens das Relações Internacionais (2016). Está atualmente a desenvolver o seu projeto de pós-doutoramento financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia intitulado “Jovens entre crises: representações, políticas e percursos numa perspectiva pós-colonial” que pretende analisar experiências de jovens de origem africana, em Portugal e em França, no atual contexto securitário europeu e à luz da história imperial de cada país. 

 

silviar@ces.uc.pt

 

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

 

LIVROS