FILHOS DE IMPÉRIO E PÓS-MEMÓRIAS EUROPEIAS
Ⓒ Rosana Paulino | Gabinete de curiosidades | 2017 [cortesia da artista]

NEWSLETTER

  • 21 set 2019 | Margarida Calafate Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #67 | PT EN

    À espera do Próximo Futuro (II)

    O futuro do Ocidente está estreitamente ligado ao do mundo não ocidental. As questões ambientais que o mundo enfrenta e o crescimento inexorável do poder económico da China e de outros países asiáticos fazem com que o Ocidente não possa olhar "para o que vem a seguir" da mesma forma que o fazia antes. Mas o desafio é bem mais profundo do que o atual debate sobre o "declínio do Ocidente" sugere. 

  • 14 set 2019 | Margarida Calafate Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #66 | PT EN

    À espera do Próximo Futuro

    Nos últimos anos, uma série de acontecimentos e controvérsias trouxeram para a Europa e para Portugal o impropriamente chamado “regresso do passado colonial”, mais ou menos silenciado desde os tempos das descolonizações, com todos os movimentos populacionais do chamado retorno, de colonos, funcionários, militares das antigas colónias africanas em pleno período revolucionário de 1974-75. Era o fim de uma era para Portugal, o princípio de outra. À parte os romances que retratavam a realidade do que tinha sido a Guerra Colonial, o silêncio foi a marca dos anos 80 e 90 do século passado, relativamente a este passado recente português.

  • 7 set 2019 | Helena Machado e Sheila Khan

    MEMOIRS NEWSLETTER #65 | PT EN

    A Memória e a História inscritas nas Tecnologias Genéticas de Combate ao Crime

    No seu belo ensaio "A Ideia de Europa", George Steiner romanticamente eterniza e descreve uma Europa que se enaltece como multicultural, cosmopolita, solidária e sem fronteiras. Mas esta é também uma Europa que se confronta com os fantasmas do seu passado, perante os atentados que temos testemunhado em França, em Espanha, na Bélgica, no Reino Unido, e que nos deixa, a nós Europeus, surpreendidos com a nossa própria memória sem dela conseguirmos tirar ilações e lições.

  • 24 aug 2019 | Arne Kaiser

    MEMOIRS NEWSLETTER #64 | PT EN

    Dis-

    A vida cultural é a nossa maneira de adicionar novas facetas criativas às sociedades em que vivemos. Hoje em dia assistimos à presença de movimentos regressivos e iniciativas contra a cultura, tentando reviver mitos do passado e reescrever os fundamentos da nossa contemporaneidade. Ativismo contra a mudança, iniciativas contra o progresso, retrocesso versus criação; desconfiança em relação ao que é ambíguo e diferente, desconfiança sobre o que não se encaixa facilmente no dia a dia ou não é instantaneamente valorizado e consumido.

  • 17 aug 2019 | Fátima da Cruz Rodrigues

    MEMOIRS NEWSLETTER #63 | PT EN

    Uma breve reflexão sobre a exposição The Portuguese Prison Photo Project no Museu do Aljube - Resistência e Liberdade

    Desde o passado dia 11 de maio, e até ao dia 29 de setembro de 2019, o Museu do Aljube - Resistência e Liberdade exibe a exposição The Portuguese Prison Photo Project. Trata-se de um conjunto de fotografias sobre prisões portuguesas captadas por dois fotógrafos, um português, Luís Barbosa, especialista em documentação fotográfica de cariz social e cultural (Prémio Sociedade Portuguesa de Autores, 2017 na sequência do trabalho desenvolvido para a exposição), e um suíço, Peter M. Schulthess, que trabalha fotografia de arquitetura, preferencialmente espaços prisionais.

  • 27 jul 2019 | Irène dos Santos 

    MEMOIRS NEWSLETTER #62 | PT EN

    Portugal-Angola: Regressos e derivações das memórias plurais na sociedade portuguesa

    Desde os anos 2000 que tem vindo a emergir em Portugal uma pluralidade de narrativas sobre o passado colonial, com uma multiplicação de registos ficcionais e autobiográficos da autoria de antigos combatentes na Guerra Colonial, bem como de desertores, refratários, anti-colonialistas e retornados. Estas memórias e pós-memórias analisadas no âmbito académico dos estudos literários e dos estudos pós-coloniais têm vindo a contribuir para a visibilidade da questão memorial no espaço público.

  • 20 jul 2019 | Paulo de Medeiros

    MEMOIRS NEWSLETTER #61 | PT EN

    Vendavais [1]

    Já se fez tarde e o Anjo benjaminiano, o seu “Anjo do Progresso”, já não é o de Paul Klee, jaz ele mesmo em cacos no meio de destroços seculares. O seu rosto distorcido e as suas asas quebradas estão manchados de sangue vermelho. É claro que falhou completamente não só em conter o vento que soprava do Paraíso, mas outro tipo de vendaval, mais capaz de vir do Inferno, ou daquilo que passa por Inferno nos nossos dias, a perversão humana, demasiado humana, dos poderosos, na sua investida para nos reduzir, a todos nós outros, à condição de escravos ou animais.

  • 13 jul 2019 | Graça Dos Santos

    MEMOIRS NEWSLETTER #60 | PT EN

    Glotofobia: da discriminação linguística ao racismo pelo sotaque

    “Na nossa sociedade a linguagem é um instrumento de dominação e de discriminação poderoso e desconhecido. Impor a sua língua como a única aceitável, estimável, razoável e menosprezar, desqualificar, rejeitar uma pessoa pela sua maneira de falar, o seu sotaque ou o seu vocabulário é tão ilegítimo como rejeitá-la pela sua religião, a cor da sua pele ou a sua orientação sexual – as várias discriminações mais ou menos reconhecidas e punidas pela lei em França”. As discriminações fundamentadas na língua são no entanto ainda largamente ignoradas, embora afetem milhares de pessoas.

  • 6  jul 2019 | Roberto Vecchi

    MEMOIRS NEWSLETTER #59 | PT EN

    Cenas da memória colonial: a decadência e as ruínas de Macau

    A decadência não é só uma forma própria de uma certa vertente da modernidade. É também um modo de lançar um olhar retrospetivo em relação a um passado carregado e condicionador: as inapagáveis tintas da decadência, a que Frantz Fanon se refere no contexto colonial da guerra da Argélia. A decadência assume assim a forma de uma relação tensa entre presente e passado. E pode também ser inscrita dentro de uma dinâmica de transmissão do passado, onde a memória vivencial que se pretende transmitir sofre uma alteração, uma reformulação profunda, degrada-se e, de algum modo, perde força de representação: a identidade impossível com um passado escoado e próximo da extinção.

  • 29  jun 2019 | António Pinto Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #58 | PT EN

    A restituição das obras está por todo o lado

    Há tempos uma amiga enviou-me uma mensagem onde dizia: "agora esta coisa da restituição das obras está por todo o lado, ou sou eu que não tinha reparado? …até num romance policial que estou a ler". Está por todo o lado e não é de agora. De facto, a reclamação pela devolução das obras apropriadas durante o colonialismo e também no pós-colonialismo inicia-se no século XVIII, mas o debate internacional e o processo para a sua execução tomaram recentemente proporções internacionais desde que o presidente francês Emmanuel Macron declarou num discurso em Ouagadougou a intenção do Estado francês em devolver as obras levadas das ex-colónias francesas e depositadas nos museus e arquivos de França.

  • 22  jun 2019 | Felipe Cammaert

    MEMOIRS NEWSLETTER #57 | PT EN

    Máscaras europeias

    Na Europa contemporânea, após vários decénios do fim dos colonialismos, os episódios de racismo são recorrentes nos múltiplos espaços sociais de um continente que ainda tem dificuldades em assumir o seu passado imperial. As notícias nos jornais sobre este assunto não são poucas. A crescente presença dos partidos de extrema direita no panorama europeu (como demonstram, aliás, os resultados das últimas eleições europeias) favorece os discursos e comportamentos de exclusão e discriminação por parte de alguns cidadãos em relação aos seus concidadãos.

  • 15  jun 2019 | Miguel Cardina

    MEMOIRS NEWSLETTER #56 | PT EN

    A recusa da guerra e o abismo colonial

    Numa das paredes da sala, incidindo no grande mapa esculpido em mármore branco que representa as navegações portuguesas do século XV e XVI, um foco de luz aponta para África e deixa entrever a sombra de Salazar fazendo o seu célebre discurso de Braga, em 1936, no qual declarou a indiscutibilidade de Deus, da Pátria e da Família. Assim termina o percurso da exposição Refuser la Guerre Coloniale, organizada pela associação Mémoire Vive, e que esteve aberta ao público na Casa de Portugal da Cidade Universitária de Paris entre abril e maio passado.

    open access

  • 08  jun 2019 | Fernanda Vilar

    MEMOIRS NEWSLETTER #55 | PT EN

    Silêncios que viram arte

    A lei do dia 23 de fevereiro de 2005, votada pelo parlamento francês exprime “o reconhecimento da Nação em favor dos franceses  repatriados” e manifesta o desejo de a França revisitar o seu passado colonial, especialmente ao inscrevê-lo nos livros e programas escolares e universitários. Passados 14 anos sobre a publicação da lei, podemos observar que, até agora, a maioria do debate deu-se num ambiente revisionista, sendo recentes os estudos que questionam o discurso oficial.

    open access

  • 01  jun 2019 | Alexandra Reza

    MEMOIRS NEWSLETTER #54 | PT EN

    “Domésticas insubmissas”: práticas de resistência de mulheres em Nova York

    O artigo de Saidiya Hartman, “The Anarchy of Colored Girls Assembled in a Riotous Manner” (2018), oferece uma “história especulativa” de Esther Brown, uma mulher negra que viveu em Nova York nas primeiras décadas do século XX. Hartman procura entender a vida “selvagem e desobediente” (469) de Esther Brown: como e por que razão o Estado a encarcerou e qual o significado dos gritos coletivos em que participou na prisão.

    open access

  • 25 mai 2019 | Bruno Sena Martins

    MEMOIRS NEWSLETTER #53 | PT EN

    Os Negros em Portugal
    Publicado originalmente em 1988, o livro Os Negros em Portugal, de José Ramos Tinhorão, foi recentemente objecto de uma terceira edição pela Caminho. A obra de Tinhorão permite percorrer diferentes aspectos da presença em Portugal de uma significativa população negro-africa, estabelecida em resultado do tráfico de escravizados encetado partir do século XV. A historiografia portuguesa, por diferentes razões, entre as quais certamente se inclui a permanência tutelar de um pudor lusotropicalista no olhar para o passado colonial, tardou em dar o devido relevo ao tema da escravatura, o que, desde logo, confere relevo à incursão histórica de Os Negros em Portugal

    Open Access

  • 18 mai 2019 | Miguel Bandeira Jerónimo

    MEMOIRS NEWSLETTER #52 | PT EN

    “Congoísmos”, a Norte (e a Sul)
    A arte da produção e sedimentação de estereótipos – operada em diferentes contextos históricos, com numerosos protagonistas e interesses em jogo, envolvendo vários expedientes e instrumentos – foi sempre muito útil à imaginação (geo)política. Serviu, e serve, várias ideologias de serviço, com diversas justificações. Foi, e é, também particularmente proveitosa para outros sectores, por exemplo, os académicos e os artísticos, que amiúde, e sem hesitar, contribuem para as operações políticas e ideológicas, ao contrário de uma certa imagem de autonomia, crítica e distinção que projectam.

    Open Access

  • 11 mai 2019 | Tiago Mota Saraiva 

    MEMOIRS NEWSLETTER #51PT EN

    O bom arquitecto português – tropicalizando o colonialismo: uma leitura crítica sobre a narrativa pós-colonial produzida a partir da ideia de “arquitectura portuguesa”

    Os estudos pós-coloniais têm vindo a ganhar centralidade no questionamento das problemáticas ligadas às identidades dos povos e, consequentemente, na disputa política. Do ponto de vista europeu constitui-se como uma das áreas do conhecimento mais determinantes para a construção do futuro da Europa e da sua relação com o Mundo.

    Open Access

  • 04 mai 2019 | António Sousa Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #50 | PT EN

    Autotopografias - Peter Weiss em Auschwitz

    É sabido como o conceito de pós-memória foi entrando progressivamente no discurso científico a partir da publicação da obra Family Frames, de Marianne Hirsch, em 1997. A reflexão sobre as dimensões transgeracionais do conceito de memória é, contudo, naturalmente, muito anterior à proposta de Hirsch.

    Open Access

  • 27 abr 2019 | Joëlle Sambi

    MEMOIRS NEWSLETTER #49 | PT EN FR AUDIO

    Musala, o trabalho

    É que temos de andar na linha, sorrir com todos os dentes ao vento: aos colegas aglomerados em volta da máquina de café (pausa)Três vezes ao dia. Três vezes.

    Mesmo que seja já uma vez a mais, mesmo que sejam os mesmos colegas e que já te tenhas cruzado com eles no elevador, no corredor, no terceiro andar, na reunião e, às vezes – que azar – à saída da casa de banho. (...)

    Open Access

  • 20 abr 2019 | Hélia Santos

    MEMOIRS NEWSLETTER #48 | PT EN

    Portugueses invisíveis 

    Nos dois últimos anos em Portugal assistimos a debates públicos sobre a identidade nacional, inéditos não só pela amplitude que ganharam fora do meio académico, mas também pelos atores que chegaram ao palco mediático e ganharam espaço na formação da opinião pública. Penso, em particular, na ação de associações não governamentais de jovens não brancos portugueses ou a viver em Portugal, como por exemplo a DJASS, a INMUNE, a Plataforma Gueto, entre outras (...)

    Open Access

  • 13 abr 2019 | Ana Paula Rebelo Correia

    MEMOIRS NEWSLETTER #47 | PT EN

    Negro, entre pintura e história

    Pode um branco e europeu representar um negro e um afro-brasileiro? Esta questão, colocada por António Pinto Ribeiro em 2006, poderia ter sido o mote para a obra Noir, entre peinture et histoire, agora publicada em França, que nos leva num périplo pela pintura europeia do século XV ao início do século XX, à descoberta do modo como o europeu, pintor ou encomendador da pintura, via, entendia e representava as pessoas negras. 

    Open Access

  • 06 abr 2019 | Francisco Ferrándiz

    MEMOIRS NEWSLETTER #46 | PT EN ES

    O Vale dos Caídos no século XXI

    O Vale dos Caídos é o monumento mais polémico da Espanha contemporânea. Francisco Franco concebeu o projeto durante a Guerra Civil (1936-1939), a fim de receber os corpos daqueles que morreram lutando ao seu lado, “por Deus e pela Espanha”, e para comemorar seu sacrifício e martírio.

    Open Access

  • 30 mar 2019 | Margarida Calafate Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #45 | PT EN

    48 Retratos de guerra / 48 Bombas relógio / 48 Elegias

    W.H.R. Rivers foi um antropólogo britânico e psiquiatra no hospital militar de Craiglockhart, na Escócia. Corria a Primeira Guerra Mundial. Rivers foi o autor da clássica conferência “The Repression of War Experience”, proferida em 4 de Dezembro de 1917 na Royal Society of Medicine, em Londres, e posteriormente publicada em The Lancet em Fevereiro de 1918.

    Open Access

  • 23 mar 2019 | Fátima Rodrigues

    MEMOIRS NEWSLETTER #44 | PT EN

    O que se pode fazer ao ver com os olhos de um outro

    (...) as fotografias de Louise Narbo são particularmente provocadoras no que toca a alguns processos que parecem compor a pós-memória, isto é uma memória “de segunda geração, filha de uma primeira de testemunhas (vivenciais, presenciais, experienciais), marcada pelo silêncio”.

    Open Access

     

  • 16 mar 2019 | Paulo de Medeiros

    MEMOIRS NEWSLETTER #43 | PT EN

    Assassinos

    A dado momento no romance Beloved (1987), de Toni Morrison, galardoado com um Pulitzer, Sethe, a protagonista diz: “Algumas coisas vão-se. Passam. Algumas coisas ficam. Eu costumava pensar que era a minha rememória. Você sabe. Algumas coisas esquecemos. Outras nunca se esquecem. Mas isso não. Sítios, os sítios ainda estão lá. 

    Open Access

  • 09 mar 2019 | Roberto Vechi

    MEMOIRS NEWSLETTER #42 | PT EN

    Comemorações institucionalizadas e monstros da memória

    Será que a memória – como diz o poeta Júlio Castañon Guimarães, num famoso poema de um só verso – “tem os seus dias contados”?
    A memória possui o seu dia especial de comemoração, o dia da memória, 27 de Janeiro. 

    Open Access

  • 02 mar 2019 | Rui Trindade

    MEMOIRS NEWSLETTER #41 | PT EN

    “Madrinhas de guerra” moçambicanas: uma história por contar

    Incluída na programação da edição de 2018 do festival Maputo Fast Forward, a exposição Madrinhas de Guerra, do jovem fotógrafo moçambicano Amilton Neves, teve, entre outros méritos, o de trazer para o espaço público um tema que, apesar de terem passado mais de quarenta anos sobre a independência de Moçambique, continua a ser considerado “delicado”. 

    Open Access

  • 23 fev 2019 | Felipe Cammaert

    MEMOIRS NEWSLETTER #40 | PT EN

    Da Guerra Colonial: memórias e pós-memórias, transmissão e imaginação

    Quando a literatura busca transmitir a experiência da violência, o resultado está determinado pela distância entre quem escreve e a realidade traumática referida. Existem, no entanto, constantes entre as representações artísticas da memória feitas pelas testemunhas directas dos acontecimentos e aquelas reelaboradas pelos seus descendentes (as chamadas pós-memórias). 

    Open Access

  • 16 fev 2019 |  António Pinto Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #39 | PT EN

    Questões de língua, multilinguismo e exílio

    “O Senhor, porém, desceu, afim de ver a cidade e a torre que os homens estavam a edificar. E o Senhor disse: «Eles constituem apenas um povo e falam uma única língua. Se principiaram desta maneira, coisa nenhuma os impedirá, de futuro, de realizarem todos os seus projectos. Vamos, pois, descer e confundir de tal modo a linguagem deles que não consigam compreender-se uns aos outros».

    Open Access

  • 9 fev 2019 | Fernanda Vilar

    MEMOIRS NEWSLETTER #38 | PT EN

    Enlaces: artes periféricas, artivismo e pós-memória

    O espaço urbano das grandes capitais europeias abarca pessoas de diversas origens geográficas que habitam sobretudo suas periferias. Dessa relação social e geográfica desigual emergem demandas que devem ser tratadas com urgência para evitarmos a (re)produção de novas formas de colonialidade.

    Open Access

  • 2 fev 2019 | Bruno Sena Martins

    MEMOIRS NEWSLETTER #37 | PT EN

    De Amílcar Cabral ao Bairro da Jamaica

    Aproximando-se a data em que se cumprirão os 45 anos do assassinato de Amílcar Cabral (20 de janeiro de 1973), decidi submergir na volumosa colectânea Cartas de Amílcar Cabral a Maria Helena - A Outra Face do Homem (2016). Neste livro estão compiladas as cartas que, entre 1946 e 1960, o líder independentista enviou a Maria Helena, sucessivamente amiga, namorada e esposa.

    Open Access

  • 26 jan 2019 | Miguel Bandeira Jerónimo

    MEMOIRS NEWSLETTER #36 | PT EN

    Um solilóquio, vários “fantasmas”

    “A Kodak tem sido uma dolorosa calamidade para nós. De facto, é o inimigo mais poderoso que já enfrentámos. Nos primeiros anos, não tivemos dificuldade em levar a imprensa a “expor” os relatos de mutilações como calúnias, mentiras, invenções de missionários americanos intrometidos e estrangeiros exasperados que descobriram que a “porta aberta” da carta Berlim-Congo lhes estava fechada quando se apresentaram inocentemente para fazer negócio; (...)

    Open Access

  • 19 jan 2019 | Hélia Santos

    MEMOIRS NEWSLETTER #35 | PT EN

    Mais um Dia de Vida: memorialização do jornalista, esquecimento de Angola

    Em novembro de 2018, circulou nas salas de cinema em Portugal a adaptação ao cinema do livro Mais um Dia de Vida: Angola 1975 do jornalista Ryszard Kapuscinski, originalmente publicado em 1976. Polaco (1932-2007), o jornalista foi correspondente de guerra durante grande parte da sua vida profissional, tendo acompanhado de perto os processos de independência de vários países em África, e não só.

    Open Access

  • 12 jan 2019 | Miguel Cardina

    MEMOIRS NEWSLETTER #34 | PT EN

    Luta Ca Caba Inda: do arquivo ao fragmento

    No princípio foi um gesto. No auge da luta de libertação, o PAIGC (Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde) decidiu enviar para Cuba um conjunto de jovens para se formarem profissionalmente. Dos 25 jovens chegados em 1967, quatro deles – Flora Gomes, Sana na N’Hada, Josefina Lopes Crato e José Bolama Cobumba – iriam estudar cinema, sendo-lhes endossada a posterior tarefa de filmar a luta.

    Open Access

  • 5 jan 2019 | António Sousa Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #33 | PT EN

    Fórum Humboldt ou Fórum de Benim?

    A entrega do relatório de Bénédicte Savoy e Felwine Sarr a Emmanuel Macron, seguida pela promessa do presidente francês de aceitar as indicações destes peritos no sentido da identificação e restituição de peças de origem colonial indevidamente retidas em museus franceses, veio dar um impulso renovado a uma discussão que está, seguramente, muito longe de terminar. 

    Open Access

  • 22 dez 2018 |  António Pinto Ribeiro, Margarida Calafate Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #32 | PT EN FR

    A restituição das obras: um passo decisivo no processo de descolonização

    Na Bélgica, no dia 7 de Dezembro de 2018, o Museu Real da África Central foi definitivamente encerrado e no seu lugar abriu o AfricaMuseum. Este novo museu belga federal sucede ao Museu do Congo, criado em 1898, pelo Rei Leopoldo II na sequência da Exposição Universal de Bruxelas de 1897. 

    Open Access

  • 15 dez 2018 | Roberto Vecchi

    MEMOIRS NEWSLETTER #31 | PT EN
    Os (re)usos do passado

    As eleições de outubro 2018 no Brasil vão ocupar ainda por muito tempo o interesse dos analistas e dos investigadores. Multíplices motivos confirmam como o Brasil continua a ser um laboratório avançado de técnicas políticas em cuja contraluz se enxergam talvez traços de um futuro também nosso. A centralidade inesperada dos social media em relação aos meios de comunicação mais tradicionais, o abuso das fake news, a politização do sistema judiciário, o ocultamento das intenções governamentais (...)

    Open Access

  • 8 dez 2018 |  Vasco Luís Curado, Mónica V. Silva

    MEMOIRS NEWSLETTER #30 | PT EN

    A Vénus Hotentote, o seu público e a ciência

    Em 2002, a África do Sul recuperou os restos mortais de Sarah Baartman, para lhe dar um funeral na sua terra natal. Durante mais de 150 anos, estes despojos, um esqueleto e alguns órgãos conservados em formol, não foram tratados como os restos de uma pessoa cujos direitos são defendidos por leis universais, mas sim como peças zoológicas de museu.

    Open Access

    Sim, europeus e afrodescendentes

    Pela primeira vez, em 2018, o Parlamento Europeu dedicou uma semana ao conhecimento e reconhecimento das especificidades dos cerca dos 15 milhões de europeus afrodescendentes a viver na Europa. A primeira People of African Descent Week  (...)

    Open Access

     

  • 1 dez 2018 | Paulo de Medeiros

    MEMOIRS NEWSLETTER #29 | PT EN

    Um raiva tão surda

    O primeiro capítulo de Maintenant (Agora), um livro recente assinado pela coletiva Comité Invisible, traz um título tão significativo quanto ameaçador: “Amanhã está cancelado”. Começa com uma série de observações sobre o nosso momento atual: Todas as razões para fazer uma revolução estão presentes. Não falta uma. O naufrágio da política, a arrogância dos poderosos, o reino da falsidade, a vulgaridade dos ricos, os cataclismos da indústria, a miséria galopante, a exploração nua, o apocalipse ecológico - não nos poupam nada, nem sequer deixamos de ser informados sobre tudo isso.

    Open Access

  • 24 nov 2018 | Paulo Faria

    MEMOIRS NEWSLETTER #28 | PT EN

    Pedra, algodão ou petróleo

    — Veja aqui, veja! Era o que estávamos a dizer.
    Dedos ávidos a abrir à força a boca do saco, a incliná-lo para mim, a arrancar às mãos-cheias o algodão avermelhado, sujo de terra. O saco vomita uma pedra, depois outra. Um tijolo de adobe. Há risadas. O chefe de brigada manda procurar os outros sacos que têm o mesmo nome escrito por fora. Já tinham sido pesados e postos na camioneta.

    — São três sacos. Este e mais dois. Faltam dois.

    Open Access

  • 17 nov 2018 | Fátima da Cruz Rodrigues

    MEMOIRS NEWSLETTER #27 | PT EN

    Quando nem sequer os mortos veem o fim de uma guerra

    Na obra Soliloquios en Inglaterra e Soliloquios Posteriores , escrita entre 1914 e 1921, o filósofo espanhol George Santayana disse: “Apenas os mortos viram o fim da guerra”. De facto, quando as guerras terminam, nem tudo aquilo que elas destruíram, criaram, violentaram e profanaram parece ter fim. Contudo, entre os muitos restos, destroços e heranças que as guerras vão deixando, e que inevitavelmente contaminam várias gerações, por vezes nem sequer os mortos parecem ver o seu fim. 

    Open Access

  • 10 nov 2018 | Roberto Vecchi

    MEMOIRS NEWSLETTER #26 | PT EN

    Mitologia e memória

    As neurociências ainda não explicaram integralmente o funcionamento da memória. Do ponto de vista cultural, pelo arquivo enorme de obras artísticas que se realizaram sobre o desejo de salvação do passado, possuímos alguns elementos, às vezes predominantemente figurais, que mostram em detalhe a urdidura da teia de Penélope da memória, como a definia Walter Benjamin, referindo-se a Proust.

    Open Access

  • 3 nov 2018 | Bruno Sena Martins

    MEMOIRS NEWSLETTER #25 | PT EN

    Liberdade / Diáspora. A cronologia universal da descolonização da história

    Cortejando talvez o secreto desejo de nos acreditarmos cuidados por forças benfazejas, além dos mundanos sortilégios e dos quereres que nos decidem as fortunas de cada dia, lemos frequentemente generosas coincidências em encadeamentos que logo se explicam afinal tão prosaicos. Foi precisamente a enganosa bênção de uma dessas coincidências que senti quando, caminhando por Londres, entrei na galeria Autograph (Rivington Place), onde me pude passear pela exposição LIBERTY / DIASPORA, de Omar Victor Diop.

    Open Access

  • 27 out 2018 | Fernanda Vilar

    MEMOIRS NEWSLETTER #24 | PT EN

    A dissociação entre a verdade e a memória

    Os tempos sombrios vividos no Brasil espelham nossa perplexidade sobre o esmorecimento das notícias perante as fake news. A estratégia eleitoral onde uma mentira vira verdade não é exclusividade das mídias sociais modernas. Falta-nos saber como devolver a verdade à verdade. Como conjugar a verdade com a construção da memória no fazer da história – especialmente nos casos recentes de incineração (in)voluntária de arquivos em importantes museus do Brasil.

    Open Access

  • 20 out 2018 | Felipe Cammaert

    MEMOIRS NEWSLETTER #23 | PT EN

    Sobrevivemos?

    A exposição temporária da Casa Museo de la Memoria, intitulada Medellín/es 70, 80, 90, apresenta uma cronologia dos eventos que marcaram as três décadas mais atrozes da história da segunda maior cidade da Colômbia – e uma das mais violentas do mundo – no final do século XX. 

    Open Access

  • 13 out 2018 | Paulo de Medeiros

    MEMOIRS NEWSLETTER #22 | PT EN

    A tessitura da memória

    Tendo em conta os desenvolvimentos importantes no campo dos estudos sobre memória que tiveram lugar nos últimos vinte anos, poderíamos ser perdoados por pensar que havíamos entrado numa fase de profunda amnésia cultural.  Em todo o mundo assistimos ao ressurgimento de forças empenhadas em reverter todas e quaisquer conquistas emancipatórias dos últimos dois séculos, seja no campo da política, das relações de gênero, das questões raciais, ou mesmo da ciência básica.

    Open Access

  • 6 oct 2018 | Miguel Bandeira Jerónimo

    MEMOIRS NEWSLETTER #21 | PT EN

    Em torno das reparações

    A história das reparações exigidas em razão da escravatura e do tráfico de escravos é longa, complexa e rica. Mais longa e recorrente do que se julga comummente. Não é um fenómeno recente, resultado apenas de debates contemporâneos sobre identidades individuais ou colectivas. 

    Open Access

  • 29 set 2018 | Hélia Santos

    MEMOIRS NEWSLETTER #20 | PT EN

    Esquecer em português

    Compreendemos uma sociedade tanto pelo que ela acalenta na sua memória coletiva, como pelo que ela esquece. É um facto: as sociedades esquecem. É um processo necessário à criação de identidades coletivas, de solidariedades políticas, de projetos de governação da sociedade, de sobrevivência e de reinício coletivo após guerras civis ou outros eventos responsáveis por ruturas.

    Open Access

  • 22 set 2018 | Miguel Cardina

    MEMOIRS NEWSLETTER #19 | PT EN

    O Museu Casa da Memória (Medellín) e a memória como passado-presente

    No seu livro O Museu da Inocência, Orhan Pamuk imaginou um museu como se fosse uma casa. Um espaço íntimo onde a história pudesse ser vislumbrada através de retalhos e fragmentos do quotidiano. Um ponto mais destinado a percorrer as trajetórias biográficas, na sua diversidade e riqueza, em lugar de produzir e reproduzir o discurso épico da nação. Pode um museu ser uma casa? 

    Open Access

  • 15 set 2018 | Margarida Calafate Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #18 | PT EN

    Europa,  periferia das  ilhas crioulas

    1
    Aimé Césaire, Franz Fanon e Édouard Glissant foram filósofos que refletiram profundamente sobre o mundo que nos constitui, a partir da condição colonial e da herança da escravatura que tanto marca a sua ilha natal, a Martinica, nas Antilhas Francesas.

    Open Access

  • 8 set 2018 |  António Pinto Ribeiro, Ana Tironi

    MEMOIRS NEWSLETTER #17 | PT EN

    A festa do Avante: Apesar de não parecer os conflitos estão lá, nos três dias

    Realiza-se este fim de semana mais uma edição, a 41ª, da festa do Avante da responsabilidade do jornal oficial do Partido Comunista Português que reclama ser esta “o maior acontecimento cultural do país”. 

    Open Access

    O que pode um livro

    Há algum tempo chegou às minhas mãos um livro escrito por um casal de psicanalistas franceses que desde há trinta anos tem vindo a estudar, a partir de casos reais, a ligação existente entre o trauma, pessoal ou colectivo, e a loucura.

    Open Access

  • 1 set 2018 | Roberto Vecchi

    MEMOIRS NEWSLETTER #16 | PT EN

    Memórias familiares e memórias públicas: campos de batalha

    A literatura – e a literatura portuguesa não é uma exceção – abre fendas profundas dentro de mundos insondáveis como o das memórias e das relações de família. Um dos arquivos mais complexos é constituído pela resistente e escorregadia memória familiar. É como um antídoto à perda total do passado. O que se guarda no espaço íntimo e privado são imagens efetivas ou simbólicas de vivências pessoais, de experiências agradáveis ou dolorosas.

    Open Access

  • 25 ago 2018 | Vasco Luís Curado

    MEMOIRS NEWSLETTER #15 | PT EN

    Duas reminiscências da Guerra Colonial

    Artilharia
    O homem contou-me como foi a sua guerra colonial. A meio do curso de Matemática, que ele fazia sem pressas, mobilizaram-no para a tropa, graduaram-no em oficial de artilharia, para fazer cálculos para os disparos de obus, e mandaram-no para um aquartelamento no mato
    do Norte de Angola. Era o oficial mais desleixado da guarnição: mal fardado, a boina sempre mal posta. Diziam dele que parecia que andava noutro mundo – talvez o mundo abstracto da matemática, que lhe ocupava o espírito e o distraía das coisas terrenas e imediatas.

    Open Access

  • 4 aug 2018 | Sílvia Roque

    MEMOIRS NEWSLETTER #14 | PT EN

    Amílcar Cabral: itinerários, memórias, descolonização

    Após Cartas de Amílcar Cabral a Maria Helena / A Outra Face do Homem, a Editora cabo-verdiana Rosa de Porcelana volta a lançar um livro baseado na correspondência familiar do líder do PAIGC, Itinerários de Amílcar Cabral (2018). Trata-se de uma recolha de postais enviados por Amílcar Cabral à companheira, Ana Maria, e aos filhos, Raul e Ndira, organizada pela própria Ana Maria Cabral, por Filinto Elísio e Márcia Souto e comentada pela historiadora Aurora Almada e Santos.

    Open Access

  • 28 jul 2018 | Vasco Luís Curado

    MEMOIRS NEWSLETTER #13 | PT EN

    Declaração de guerra 2

    Chamado para a tropa em 1969, a minha especialidade foi em Operações Especiais. Em Santa Margarida, preparei um grupo de combate. Eu e o meu grupo de 25 homens fomos para a Guiné. Fiz muita guerrilha e saídas para o mato. Éramos Rangers, bem preparados. Fazíamos segurança à volta dos aldeamentos novos, com casas de adobe onde eram instaladas populações guineenses, para estarem mais longe dos
    terroristas e mais perto de nós. Os políticos chamavam a isso reordenamento.

    Open Access

  • 21 jul 2018 | António Pinto Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #12 | PT EN

    O Teatro de um Estado de Sítio

    As peças Retornos, exílios e alguns que ficaram e Filhos do Retorno do Teatro do Vestido, as obras mais recentes da companhia dirigida por Joana Craveiro, são uma oportunidade para reflectir sobre o teatro contemporâneo que em Portugal aborda as memórias da ditadura, da guerra colonial e os efeitos do ex-império português e para, simultaneamente, fazer uma comparação necessária com o teatro que se  faz em alguns países da América Latina, que têm em comum o terem sofrido ditaduras militares entre os anos 60 e os anos 80 do século passado e uma colonização ideológica com acentuada orientação económica e repressiva a que não foi alheio o papel dos EUA em consequência da Guerra Fria.

    Open Access

  • 14 jul 2018 | António Sousa Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #11 | PT EN

    “Descobertas” – colonialidades da memória

    Se o “Museu das Descobertas” sugerido pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, algum dia vier a existir – espera-se que com uma designação mais adequada – uma das suas salas, de preferência a sala de entrada, deveria ser destinada a documentar a controvérsia que tem ocupado as páginas dos jornais desde o anúncio do projeto, a partir do momento em que um grupo alargado de intelectuais e investigadores tomou posição pública contestando a orientação traduzida na designação proposta. O interesse pedagógico dessa documentação é inequívoco.

    Open Access

  • 07 jul 2018 | Fatima da Cruz Rodrigues

    MEMOIRS NEWSLETTER #10 | PT EN

    O Encontro Nacional dos Combatentes: ‘talvez nesta cerimónia devêssemos apenas ouvir os clarins’

    No dia da cerimónia de inauguração do Monumento aos Combatentes do Ultramar, a 15 de janeiro de 1994, as primeiras palavras do discurso proferido por Adriano Moreira foram: “Sr. Presidente da República, Combatentes. Talvez nesta cerimónia cívica destinada a honrar os combatentes da guerra do ultramar português fosse apropriado fazer ouvir apenas os clarins num dos toques que misturam os sons da agonia com os sons da glória”.

    Open Access

  • 30 jun 2018 | Felipe Cammaert

    MEMOIRS NEWSLETTER #9 | PT EN

    A Praça Lumumba em Bruxelas: um lugar de memória controverso

    Após vários anos de debates, a municipalidade de Bruxelas inaugurará a 30 de Junho de 2018 uma praça em homenagem a Patrice Lumumba, figura política da independência congolesa e efémero primeiro Primeiro-Ministro da República do Congo, em 1960. A data escolhida para a inauguração é significativa: nesse mesmo dia de 1960 foi proclamada a independência do Congo, pondo fim à dominação colonial belga que imperava desde os tempos da Conferência de Berlim (1884). 

    Open Access

  • 23 jun 2018 | Vasco Luís Curado, Fernanda Vilar

    MEMOIRS NEWSLETTER #8 | PT EN

    Declaração de guerra 1

    Em 1960, eu tinha 20 anos, chamaram-me para a tropa. Fiz o curso de sargentos milicianos e fui graduado como furriel no dia de embarque para Angola, em 5 de Maio de 1961. A sede da companhia era em Muxaluando.

    État de lieux - França 2018, o debate sobre o passado colonial

    Estamos em meados de 2018. Emmanuel Macron é o Presidente de França. Há um ano declarou que a colonização foi um “crime contra a humanidade”. A crítica de Macron contra a colonização foi feita no contexto de uma visita à Argélia, território dominado pelos franceses ao longo de 114 anos, de 1848 a 1962

    Open Access

  • 16 jun 2018 | Hélia Santos

    MEMOIRS NEWSLETTER #7 | PT EN

    Memórias do colonialismo português encenadas por Hotel Europa

    “Há uma forma de nos lembrarmos das coisas. Há uma forma de nos lembrarmos das coisas coletivamente…”. Assim se inicia a trilogia sobre o final do império português em África, produzida pela Companhia Hotel Europa entre 2015 e 2017. Em Portugal não é um País Pequeno
    (2015), Passa-Porte e Libertação (2017) André Amálio explora documentação de arquivo, textual e audiovisual, em diálogo, por vezes contrastivo, com testemunhos que o autor recolheu de pessoas que viveram aquele período histórico. 

    Open Access

  • 9 jun 2018 | Miguel Cardina

    MEMOIRS NEWSLETTER #6 | PT EN

    Vidas que ficaram do outro lado

    As guerras resistem a confinar-se aos limites históricos nos quais ocorreram. Sabemos como os seus estilhaços se repercutem  continuadamente no tempo, produzindo mecanismos públicos e privados de ressignificação e silenciamento. Pela sua própria natureza disruptiva, a experiência da guerra pode transformar-se numa marca funda que perdura e que frequentemente toca aquelas e aqueles que, não tendo da guerra uma vivência direta, se encontram numa posição de proximidade pessoal, afetiva e/ou familiar com quem combateu, acabando por ser atingidos pelas ressonâncias desse (in)transmitido. 

    Open Access

  • 2 jun 2018 | Miguel Bandeira Jerónimo

    MEMOIRS NEWSLETTER #5 | PT EN

    De que “legados” falamos nós?

    Num contexto de intensa disputa histórica, mas sobretudo memorial, em França, suscitada, em parte, pela publicação da Lei de 23 de Fevereiro de 2005, que postulava a necessária transmissão dos “valores positivos” do colonialismo francês aos estudantes, Jean-François Bayart e Bertrand Romain assinaram uma peça intitulada “De quel ‘legs colonial’ parle-t-on?”, publicada na renomada L’Esprit. De que “legado colonial” falamos nós?

    Open Access

  • 26 mai 2018 | Bruno Sena Martins, Paulo de Medeiros

    MEMOIRS NEWSLETTER #4 | PT EN

    A Guerra Colonial portuguesa e a imortalidade das feridas

    No conto “A Testemunha”, Jorge Luis Borges sugere que, de uma certa perspectiva, a batalha de Junín chegou ao fim, desaparecendo para sempre, após a morte do último homem que nela combateu. 

    Memórias de Guerra e Guerra de Memórias

    Aproximadamente a meio da narrativa, o leitor do recente álbum de banda desenhada, Algériennes 1954-1962, assinado pela dupla Swann Meralli e Deloupy (Marabout, 2018), depara com uma frase insólita: ‘isto tornou-se numa guerra de memórias’.

    Open Access

  • 19 mai 2018 | António Pinto Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #3 | PT EN

    O impossível museu

    Os museus não são arquivos, tão pouco conjuntos de acervos reunidos. São sobretudo instrumentos de representação de poder segundo propósitos que são legitimados por uma determinada epistemologia e que, num contexto nacional, têm por objectivo produzir e difundir uma determinada memória de identificação nacional.

    Open Access

  • 12 mai 2018 | Roberto Vecchi

    MEMOIRS NEWSLETTER #2 | PT EN

    Argentina e as suas cicatrizes familiares

    O tema de Memoirs é a transmissão familiar e intergeracional da memória também traumática, o que aliás, sintetiza, por defeito, o conceito de pós-memória. A família é o objeto opaco e indecifrável o que torna os estudos das memórias privadas um desafio problemático. De fato, como se pode perfurar o diafragma espesso que protege e encobre os passados subjetivos, privados, denegados, afundados como cárceres de grupos afetivos nas regiões mais escuras e profundas do perímetro familiar? 

    Open Access

  • 5 mai 2018 | Margarida Calafate Ribeiro, António Sousa Ribeiro

    MEMOIRS NEWSLETTER #1 | PT EN

    Na Europa andam fantasmas pós-coloniais à solta

    No dia nove de abril de 2018 comemoraram-se os 100 anos da Batalha de La Lys. Os presidentes das Repúblicas Portuguesa e Francesa e o Primeiro Ministro António Costa participaram nas comemorações e as televisões e os jornais referiram marcadamente o evento. 

    Conflitos de memória: o “Bairro Africano” de Berlim

    A experiência colonial alemã foi, como é sabido, relativamente curta, tendo chegado a um fim definitivo com a derrota do Reich em 1918 – as muitas disposições punitivas do Tratado de Versalhes incluíam a obrigação de a Alemanha ceder o domínio sobre todos os territórios coloniais que detinha.

    Open Access